Mulheres Do Samba

Mulheres do Samba

Desde que o samba é samba, a presença feminina tem importância fundamental para este gênero musical.
Pôr do Som destaca seis cantoras com uma vida dedicada ao samba e a música brasileira.

Fazer samba não é contar piada, E quem faz samba assim não é de nada. O bom samba é uma forma de oração (Vinícius de Moraes – Baden Powell)


barra adriana moreira

Adriana é dessas raras cantoras que conciliam o canto, o teatro e a pesquisa, essa última, fundamentada no resgate de pérolas do nosso cancioneiro popular, bem como de seus compositores. Teve o primeiro contato com a música na Escola de Samba Camisa Verde e Branco e já cantou ao lado de artistas como Dona Ivone Lara, Monarco, Almir Guineto, Fabiana Cozza, Dona Inah e Wilson das Neves.

 

barra dona inah

Nascida em Araras (SP) e ligada à música desde criança, Dona Inah só teve seu talento devidamente reconhecido em 2005, aos 69 anos. Dona Inah chama atenção pela voz firme e pela naturalidade com que canta.

barra graca braga

Dona de uma voz poderosa e marcante. Graça Braga, é uma das cantoras que ajudam a carregar a bandeira do samba raiz no Brasil. Em seu 1º Cd solo “Eu Sou Brasil”, apresenta diversos compositores da nova geração do samba de São


barra karina ninni
Karina Ninni chama atenção por sua interpretação madura e pelo repertório selecionado com esmero. A cantora gravou apenas sambas inéditos de diversos compositores brasileiros, dos conhecidos Délcio Carvalho e Celso Viáfora aos igualmente talentosos Leandro Dias e Douglas Germano.


barra nene cintra
Nenê interpreta sambas das mais variadas vertentes, com uma linguagem da mais pura MPB, revisita obras que vão dos clássicos Ary Barroso, Noel Rosa, Baden Powel e Assis Valente aos Poetas:Chico Buarque, Paulo C. Pinheiro e Paulinho da Viola. De Gilberto Gil, Joyce, João Bosco e à nova geração: Lenine, Chico Saraiva, Marcelo Mainieri e Ilka Cintra.


barra nanana da mangueira
Nãnãna da Mangueira, cantora e sambista que levou o samba raiz para todos os lados do mundo, recentemente lançou o seu primeiro disco, intitulado “Caminho de Rosas”, na qual ela considera como um filho. Em quase 60 anos de carreira, a cantora reúne grandes histórias.